quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Oli and the search for the perfect fan - Part 1

Olá Olá!
Como prometido, começo uma nova série aqui no blog, onde irei falar sobre minha busca pelo leque perfeito aqui no Japão.

Minha relação com leques nunca foi muito forte. Mesmo tendo crescido em um país tropical, abençoado por Deus e amaldiçoado pelo calor, um leque nunca foi presença indispensável na minha bolsa, talvez por estar mais do que acostumada com a temperatura elevada da minha terra linda.

Depois de morar em Londres por 3 anos, ir para o Japão foi uma grande mudança de ambiente, tanto em relação à cultura quanto à temperatura. O clima é bem úmido e, porque fui em setembro, o verão ainda abençoava (ou atormentava) o país.

Acho que nunca contei aqui, mas minha mãe visitou o Japão algumas vezes e minha casa sempre foi repleta de itens japoneses, um deles sendo um lindo leque quase sagrado para minha mãe, o qual ela quase nunca me deixou tocar, muito menos usar. Talvez como consequência dessa proibição, criei esse desejo de encontrar um leque especial só para mim.

Então, a partir do primeiro dia da viagem comecei a buscar, mas sem muita sorte. Em Shibuya e Harajuku, só encontrei leques feios e com aparência descartável. Mas, como estava muito quente, meu corpo sentiu a necessidade de um leque urgentemente, e acabei comprando um na Daiso, aquela loja super barata na Takeshita Dori. Foi o mais aceitável que encontrei, não muito prático, mas útil para meu desespero do momento.

Até agora, o único lugar em que encontrei leques bonitos foi a Kyukyodo, a papelaria tradicional que visitei em Ginza. Como contei no post anterior, a Kyukyodo vende os produtos mais delicados feitos de washi (papel tradicional japonês), além de lindos leques com estampas super bonitas. Mas a maioria era do tipo que não dobra, o que não é muito útil para carregar por aí na bolsa, além de serem um pouco caros. Não levei nenhum, mas tirei algumas fotos para mostrar aqui no blog.

xx

---

Hello everyone!
Like I promised, in this new series I'm going to write about my search for the perfect fan in Japan.

I never had a strong relationship with fans in the past. Even though I grew up in a tropical country, blessed by God and cursed by the heat, a fan was never an unmissable thing in my purse, maybe because I was more than used to the high temperatures of my beautiful hometown, or because no one used it.

After living in London for 3 years, going to Japan was a big change of scenario, including the culture and the high temperature. The climate is very humid, and because I went in September, the summer was still blessing (or tormenting) the country.

I don't think I ever told it here, but my mom has visited Japan several times and my house is full of little japanese things, including a beautiful fan, which is sacred to my mom and she rarely allowed me to touch it, let alone use it. It was maybe because of this prohibition that I've always wanted a special fan of my own.

So I searched for a nice and good quality fan since day one in Japan, but had no big luck. In Shibuya and Harajuku I only found disposable looking fans, with not very attractive patterns. But as you already know, it was very hot, and I needed a fan, really. I found a decent one in Daiso, that divine store in Takeshita Dori with super ultra cheap products, and I was using it until I found the perfect fan (oh yes, I did find it, but wait to find out where and how).

Until now, the only place I've found nice fans was Kyukyodo, the traditional store I visited when I went to Ginza. As I told in the previous post, they have the most exquisite products made of washi (traditional japanese paper), and also beautiful fans with very nice patterns. Most of them were of the type you can't fold, so where not very practical for me. They were also a little expensive, so I didn't buy any.
But I took pictures of the ones I liked!

xx

The options at Daiso.

My fan with the coolest Japanese magazine, Soen.

The fan selection at Kyukyodo.










Um comentário:

  1. Adorei o leque da esquerda na primeira foto e o da última foto. 3.000 yens é mto caro?

    ResponderExcluir